BLOG EDMIL

Pesquisar
Pesquisar

Finanças pessoais: como começar a organizar

Se tem um assunto que desperta um misto de emoções nas pessoas, sem dúvidas, é o de finanças pessoais. Afinal, muitos brasileiros vivem com o orçamento na famosa corda bamba, buscando equilibrar as contas pra não perder a mão nos gastos e acabar contraindo dívidas.

Não é pra menos que uma pesquisa do SPC Brasil apontou que essa é uma realidade cotidiana pra 48% da nossa população. Ou seja, bastante gente!

Pensando nisso, a gente trouxe este post pra te ajudar a conhecer melhor suas finanças pessoais e, em especial, organizar o dim dim pra ter um estilo de vida leve.

Imagina viver sem despesas desnecessárias, preocupações com cobranças ou mesmo o seu nome negativado. Bom, né? Então, bora conferir a seguir!

Qual é a importância de controlar suas finanças pessoais?

Controlar as finanças pessoais faz a gente enxergar com clareza o orçamento. Basicamente, é um passo importante pra ajudar você a tomar decisões mais conscientes em relação ao seu dinheiro. Você vai aprender a ter autocontrole, avaliar de perto seus ganhos e gastos e diminuir as chances de comprar por impulso.

Quais os benefícios de cuidar bem das finanças pessoais?

Existem vários benefícios em ter controle sobre o seu próprio dinheiro. Entre eles, definitivamente, está o fato de poder comprar aquilo que você deseja com tranquilidade e, ainda, evitar se endividar todo mês. Com organização, você pensa melhor sobre seus gastos e pode assumir compromissos financeiros que não comprometem a sua renda.

Cuidar bem das suas finanças pessoais também permite que você tenha um futuro mais confortável, especialmente durante sua aposentadoria. Ao poupar um pouquinho a cada mês e conseguir fazer um bom pé de meia, você garante sua independência financeira lá na frente. Bom, né?

Como estão as suas finanças?

Você sabe como andam as suas finanças pessoais? Já parou pra analisá-las detalhadamente? Se a resposta é “não”, sem problemas. Hoje é o dia de mudar esse cenário!

Pra isso, liste detalhadamente quais são as suas reservas financeiras, os seus investimentos e os seus gastos mensais. Dar esse passo é fundamental pra entender qual dessas três últimas áreas acaba consumindo mais da sua renda líquida e identificar o que pode ser feito pra aumentar o equilíbrio entre elas.

Que tal fazer um detox financeiro?

Após passar um pente fino nas suas finanças pessoais, é uma ótima ideia realizar um detox financeiro. Sim, isso mesmo que você leu: eliminar tudo aquilo que compromete o seu orçamento e deixa você a um passo de se endividar. Pense, em suma, em tudo que acaba sendo fonte de estresse, preocupação e mau-humor.

Como exemplo, podemos citar a contratação de serviços que você mal utiliza (como assinatura de jornal online ou recebimento de revistas em casa), a mensalidade do clube esportivo que você frequenta só uma vez ou outra, a manutenção daquele cartão de crédito que tem uma anuidade muito alta etc.

As possibilidades são diversas e conseguem trazer até mesmo uma redução drástica nas suas despesas.

Qual é a melhor forma de pagamento?

A resposta é bem simples: o pagamento à vista. Isso porque, ao pagar no ato da compra, você não compromete suas linhas de crédito nem adquire parcelas que vão se estender pelos próximos meses tomando uma parte da sua renda mensal.

De quebra, ainda é possível obter abatimentos especiais no valor do produto ou serviço, o que significa poupar mais o seu dinheiro. “Então isso significa que só devo comprar se for à vista?”, você deve estar pensando.

Pois bem, a gente explica: essa deve ser a sua primeira opção, mas não a única. Afinal, imprevistos acontecem e nem sempre você tem a quantia que precisa pra consumir o que deseja ali na hora, né?

Em casos assim, vale a pena recorrer ao cartão de crédito ou ao crediário de loja, por exemplo. Porém, não se esqueça de uma coisa muito importante: evite parcelar diversas compras simultaneamente!

Mesmo que o custo delas seja baixo quando são analisadas isoladamente, elas todas deverão ser quitadas mensalmente. Ou seja, quanto maior for a soma delas, mais pesado ficará para o seu bolso. Então, autocontrole é indispensável aqui.

Como comprar com consciência?

O segredo pra comprar com consciência se resume a dois importantes passos. O primeiro é anotar o que você precisa e o nível de necessidade disso. Essa é uma prática simples, mas que ajuda a avaliar o que de fato é prioridade, e o que dá pra ficar para o futuro.

Isto é, algumas comprar podem ficar para um momento em que o seu orçamento estará mais folgado. Você até pode aproveitar algum período promocional ou data comemorativa no comércio, como a Black Friday e o saldão de início de ano.

O segundo passo, por outro lado, envolve um processo de reflexão sobre as compras por impulso. Quando você se ver numa situação dessa, pare e se questione o seguinte: esse produto que eu estou comprando realmente tem serventia?

É algo que vou usar a longo prazo? Estou levando porque eu desejo ou por influência de anúncios publicitários, conhecidos ou mesmo perfis de famosos nas redes sociais?

A partir daí, esses gastos supérfluos vão diminuir e você vai ter continuamente um consumo mais consciente. Aliás, vale comentar que essas duas dicas são ótimas pra serem ensinadas aos pequenos, viu? Assim, você promove a educação financeira pra crianças.

Quais são as boas práticas de registro de contas?

Um dos erros que dificulta ter controle sobre as finanças pessoais é a falta de registro delas. Afinal, por melhor que a sua memória seja excelente, é natural esquecer uma coisa aqui, outra ali, ainda mais quando se trata daqueles gastos de valor pequeno feitos na correria do dia a dia. A isso somamos as despesas domésticas, com saúde, lazer e por aí vai.

Daí já viu: sem notar, acaba tendo mais despesas do que a sua renda permite, e isso piora mês a mês, o que se torna uma bola de neve que só cresce e tira a sua paz. Por isso, comece a ter um registro fixo de tudo aquilo que você gasta.

Ele pode ser totalmente manual em um bloco de notas ou caderno, caso você prefira assim, mas sugerimos usar um aplicativo de gestão financeira, como o Minhas Economias, o Guiabolso e o Finance.

Dessa forma, você salva todos os seus dados na nuvem de maneira otimizada e ainda pode acessá-los com apenas alguns cliques de qualquer aparelho. Resumindo: é mais praticidade e rapidez na sua rotina.

Quais são os erros comuns a serem evitados?

Quando o assunto é finanças pessoais, o primeiro erro a ser evitado é a falta de preocupação em como você lida com o seu dinheiro. De modo geral, ignorar a sua saúde financeira é um baita problema porque, no final das contas, a pessoa mais prejudicada será você, ou até sua família.

Mas existem outras atitudes que também prejudicam a gente no dia a dia, como você pode conferir a seguir:

  • atrasar pagamentos: programe lembretes pra evitar pagar juros excessivos;
  • não investir em um fundo de emergência: imprevistos podem acontecer e é bom se preparar pra eles;
  • usar o cartão de crédito além da conta: se não pagar a fatura total ou no dia certo, os juros podem ser altíssimos.

Quais são as consequências de não se preocupar com as finanças pessoais?

A desorganização das finanças pessoais afeta bastante a nossa rotina. É possível, por exemplo, que falte dinheiro no final do mês pra pagar as contas mais básicas, como água e luz. Além disso, como dissemos, sem o controle das renas e despesas, as dívidas crescem.

O resultado disso? O seu nome pode ficar sujo e as cobranças podem se tornar constantes. Dependendo da situação, até as relações pessoais podem ser afetadas. Afinal, a falta de grana pode ser motivo de brigas constantes dentro de casa.

Quais os melhores blogs sobre finanças pessoais?

Agora que sabe mais sobre como organizar suas finanças pessoais, tá na hora de conhecer os melhores blogs sobre o assunto, que tal? Confira a seguir:

  • Quero Ficar Rico: tem uma boa seleção de planilhas prontinhas pra ajudar você a acompanhar o orçamento;
  • Clube dos Poupadores: o blog certo pra quem pensa no futuro e quer ir além da poupança;
  • Dinheirama: tem uma ferramenta de Simulação de Despesas pra ajudar você a mudar seus hábitos;
  • Me poupe: uma opção bacana pra quem quer entender sobre finanças de um jeito descomplicado e bem objetivo;
  • Eu Quero Investir: indicado pra quem quer adquirir mais conhecimento técnico sobre investimentos.

Como você leu, é possível ter uma relação mais saudável com as suas finanças pessoais a partir de mudanças nos seus hábitos de compra, registros de despesas e monitoramento do orçamento mensal. Atividades que demandam planejamento e empenho, mas que estão longe de serem complexas!

Além disso, é de grande ajuda adotar a pesquisa de mercado na sua rotina. Assim, você pode encontrar lojas que realmente ofereçam produtos com bom custo-benefício, incentivo pra pagamento à vista, ofertas recorrentes e descontos que o ajudem a economizar, como é o caso da Lojas Edmil que tem tudo pra você montar a sua casa.

Gostou do conteúdo? Então, aproveite para seguir as Lojas Edmil nas redes sociais para conferir mais posts como esse. Estamos no FacebookInstagramTikTokLinkedIn e YouTube.

Finanças pessoais: como começar a organizar

Categorias

Leia também

Ofertas pra você

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Ofertas pra você